Notícias

18 setembro 2020

CFP mais pessimista sobre a economia portuguesa

O Conselho de Finanças Públicas (CFP) prevê uma recessão da economia portuguesa de 9,3% em 2020, uma revisão em baixa face à quebra de 7.5% do PIB esperada em junho, devido a uma diminuição das exportações mais acentuada do que o previsto, causada pela covid-19.

O défice orçamental deverá atingir os 7.2%, mais 0,8 pontos percentuais do que em junho e  acima dos 6.3% previstos pelo Governo. Consequentemente, a dívida pública deverá agravar-se este ano para os 137.6% contra 117.7% em 2019.

No relatório “Perspetivas Económicas e Orçamentais 2020-2024”, divulgado ontem, o CFP mostra-se mais otimista quanto à recuperação já em 2021, esperando um crescimento da economia de 4.8%, acima dos 3% revelados em junho, e de 2.8% em 2022, mantendo-se abaixo dos 2% nos dois anos seguintes. Assim, apenas em 2024 a economia portuguesa deverá recuperar o nível real do PIB registado antes da pandemia.

Ao nível do mercado de trabalho, o CFP aponta para uma contração do emprego de 4% este ano, com a taxa de desemprego a atingir 10%, baixando para 8.8% em 2021 e 7.8% no ano seguinte até atingir os 6.8% em 2024.



Voltar