Macroeconomia

setembro 12, 2022

Índice de preços em agosto acalma, mas inflação subjacente atinge novos máximos

tempo de leitura: 3 minutos

O nível geral de preços em agosto acalmou, devido a quedas em cadeia na energia, mas a inflação subjacente atingiu novos máximos, mostrando algum enraizamento na economia, o que forçará a tomada de medidas para refrear a procura e assim controlar a inflação.    

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou os valores finais relativos à inflação no mês de agosto. Destacamos o seguinte: 

1 – O nível geral de preços (IPC), +8,9% em termos homólogos (-0,31% em cadeia), ligeiramente abaixo dos valores preliminares e compara com o valor médio dos últimos 12 meses (12MMM): +5,3% e 3MMM: +8,9%;

2 – Inflação subjacente (exclui o impacto dos bens voláteis: energia e produtos alimentares não processados), +6,5% homólogo (+0,02% em cadeia); compara com 12MMM: +3,70% e 3MMM +6,2%;

3 – Serviços: +5,3% homólogo vs. 12MMM: 3,20% e 3MMM: 5,00% (sequencialmente: +0,63%); 

4 – Produtos Energéticos: +24% homólogo vs. 12MMM: +19,7% e 3MMA: 28,9% (sequencialmente: -4,94%);     

5 – Alimentação e Bebidas não Alcoólicas: +15,3% homólogo vs. 12MMM: +7,2% e 3MMM:               14,1% (sequencialmente: +0,87%);

6 – Restaurantes/refeições fora: +8% homólogo vs. 12MMM: +5% e 3MMM: +7,5% (sequencialmente: +0,62%);

7 – Rendas: +2,8% homólogo vs. 12MMM: +2,3% e 3MMM: +2,70% (sequencialmente: +0,30%);          

8 – Telecomunicações: +1,80% homólogo vs. 12MMM: +1,8% e 3MMM: +1,8% (sequencialmente: 0%);

9 – Vestuário e Calçado: -1,6% homólogo vs. 12MMM: +0,1% e 3MMM: -0,7%.

 

Comentário: a inflação em agosto, abrandou ligeiramente, +8,9% homólogo vs. 9.1% em junho, no entanto, esse facto deveu-se essencialmente à queda dos Produtos Energéticos, -4,94% sequencial. Ou seja, medindo os preços pela inflação subjacente que exclui os bens mais voláteis como energia e alimentação não processada, os preços subiram 6,5% homólogo um máximo não verificado há diversos anos. De facto, a pressão nos preços parece estar a ficar enraizada, o que significa que somente com um abrandamento forçada da procura, se controla os preços. 

Em suma, o nível de preços mantém-se sob tensão, de facto, aparentemente, a inflação está a ficar enraizada, o que significa que somente através de um abrandamento forçado da procura se consegue estabilizar o nível de preços

Fonte: INE, AS Independent Research


Artigo de autoria:
António Seladas, CFA

Voltar