Macroeconomia

setembro 21, 2022

Balança de Viagens e Turismo em julho cresce 26% vs. julho/19

tempo de leitura: 2 minutos

A balança de Viagens e Turismo em julho manteve o excelente desempenho dos últimos meses, o saldo em percentagem do PIB está nos 5,5%; sendo que em absoluto, julho cresceu cerca de 26% vs. julho 2019 e foi o melhor julho de sempre. Esta tendência positiva deverá manter-se, particularmente em agosto, sendo que a Balança de Serviços, onde se inclui a Balança de Viag. e Turismo, atingiu, em julho, um excesso de 7,7% em % do PIB. Pela negativa, o défice da Balança de Bens aproxima-se dos 10%, um valor que revela a fraqueza da economia portuguesa, a falta de indústria. A balança Corrente que basicamente soma Serviços e Bens, mantém-se negativa, ainda que ligeiramente abaixo dos 2% do PIB, beneficiando do desempenho de Viagens e Turismo. 

 

O Banco de Portugal divulgou os dados de julho, relativos às contas externas. Destacamos, o seguinte: 

1 – Défice da Balança Corrente em percentagem do PIB, últimos 12 meses: -1,78%. Compara com Média Móvel dos últimos 12 meses (12MMM): -1,48% e 3MMM: -2,03%;

2 – Saldo negativo da Balança de Bens em percentagem do PIB (últimos 12 meses): -9,97%. Compara com 12MMM: -8,15% e 3MMM: -9,81%;

3 – O saldo negativo da Balança de Bens subiu em julho 32% homólogo. Compara com 12MMM: +88% e 3MMM: +57%;

4 – O saldo positivo da balança de Viagens e Turismo (somente receitas de turismo) em percentagem do PIB (últimos 12 meses) está em 5,5%. Compara com 12MMM: +3,6% e 3MMM: +5,0%;

5 – O saldo positivo da Balança de Viagens e Turismo subiu em julho 200% homólogo e compara com 12MMM: +292% e 3MMM: +274%.

O excedente da Balança de Viagens e Turismo em percentagem do PIB (últimos 12 meses), em julho, atinge os 5,5%; +340pb em termos homólogos e compara com valores junto aos 6%, antes da pandemia, 2018/19. Em valores absolutos, julho22 vs. julho 2019 (antes da pandemia) cresceu 26%, tendo registado o melhor julho de sempre. Entretanto, o défice da Balança Corrente melhorou: -1.78% em percentagem do PIB (últimos 12 meses) vs. junho e maio: -2.09% e 2.21%, respetivamente (dois mínimos recentes). Finalmente, o défice da Balança de Bens, mantém-se junto aos -10%; um valor que reflete um desequilíbrio relevante na indústria, ainda que as últimas observações, pareçam querer estabilizar em baixa.

Resumindo, a balança de Viagens e Turismo, registou, em julho, um desempenho muito forte, de facto o melhor julho de sempre e agosto deverá ser o melhor mês de sempre em absoluto. Entretanto, a balança de Bens mantém um desempenho pobre, com o défice ligeiramente abaixo dos 10% do PIB, um valor que demonstra bem a fraqueza da economia portuguesa, faltando-lhe indústria que permite equilibrar a Balança Corrente.

Fonte: BoP, INE, AS Independent Research


Artigo de autoria:
António Seladas, CFA

Voltar