Macroeconomia

13 janeiro 2021

Nível de Preços continua pressionado em baixa

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou os valores finais relativos à inflação no mês de dezembro. Destacamos o seguinte: 

1 – O nível geral de preços (IPC) manteve-se em terreno negativo pelo quarto mês consecutivo, -0,2% em termos homólogos, em linha com os valores preliminares e compara com valores médios dos últimos 12 meses (12MMM): -0,01% e 3MMM: -0,17%;

2 – Inflação subjacente (exclui o impacto dos bens voláteis: energia e produtos alimentares não processados): caiu -0,1% homólogo, ligeiramente acima dos valores preliminares e o quinto mês negativo, consecutivo; compara com 12MMM: -0.04% e 3MMM -0,14%;

3 – Alimentação e bebidas não alcoólicas: +1,5% homólogo vs. 12MMM: +2,09% e 3MMM: +2,01% (sequencialmente: -0,74%);

4 – Restaurantes/refeições fora: +2,00% homólogo vs. 12MMM: +2,40% e 3MMM: +2,13% (sequencialmente: +0,07%);

5 – Rendas: +1,90% homólogo vs. 12MMM: +2,59% e 3MMM: +2,03% (sequencialmente: +0,09%);          

6 – Telecomunicações: -1,0% homólogo vs. 12MMM: -2,12% e 3MMM: -1,06% (sequencialmente: -0,12%);

7 – Vestuário e Calçado: -4.40% homólogo vs. 12MMM: -3,25% e 3MMM: -3,67%.

 

O nível geral de preços em linha com os valores preliminares, enquanto a inflação subjacente, ligeiramente acima, ainda que se mantenha negativa, numa série consecutiva de 5 meses negativa e que não se registava desde há cerca de 11 anos. Em geral as subcomponentes do índice de preços, mostram um desempenho modesto, inclusive, a evolução dos preços nos restaurantes e a evolução das rendas, duas variáveis, que têm registado valores acima dos 2%; mostram também algum desacelerar, com os últimos valores abaixo das médias móveis.       

Em resumo, estamos num ambiente deflacionista, que dependendo do ritmo de recuperação da economia em 2021, se poderá intensificar; concretamente se a recuperação ficar aquém das expectativas.

Fonte: INE, AS Independent Research

António Seladas, CFA



Voltar