Macroeconomia

maio 12, 2022

Salários no 1T22 aumentam 2,2%; claramente inferiores à inflação

O Instituto Nacional de Estatística divulgou os dados relativos à remuneração Bruta Total mensal por trabalhador, durante o 1T22 (1º trimestre 2022). Destacamos o seguinte: 

1 – O salário medio bruto durante o 1T22 foram €1 364 mensais;

2 – O aumento médio durante o 1T22 foi 2.2% vs. 3MMM (3 meses média móvel): 2,08% e 12MMM: 3,30%;

3 – Aumentos mensais homólogos foram – jan: 1,95%; fev: 2,09% e mar: 2,19%.

Os dados referentes ao 1T22 não sinalizam qualquer tipo de pressão nos salários, de facto é exatamente o contrário, as variações dos últimos 3 meses são inferiores a variações médias dos últimos 12 meses. O gráfico em baixo mostra a evolução dos aumentos salariais vs. a inflação subjacente (exclui o efeito da energia e da comida não processada), durante os últimos 6 anos e de facto os aumentos atuais são inferiores aos aumentos registados em períodos anteriores, de menor inflação. De facto, são notícias positivas no controle da inflação porque reduzem o risco da espiral inflacionista preços/salários, ainda que limitem também o crescimento dos volumes e como tal devam conduzir a um abrandamento económico.

Em resumo, os dados do INE, confirmam aumentos salariais homólogos ligeiramente acima dos 2%; sendo positivo em termos de controle da inflação, aumentos salariais em termos reais negativos, deverá conduzir à redução nos volumes e abrandamento económico.

   

Fonte: INE, BdP, AS Independent Research


Artigo de autoria:
António Seladas, CFA

Voltar